Arquivo

Posts Tagged ‘Política’

As 10 maiores contratações do futebol brasileiro em 2017 + 10 motivos para o São Paulo ter um 2017 melhor

ceni

Bom dia e boa semana!

Saíram as primeiras colaborações para o Yahoo! em 2017. Uma delas é dedicadas aos torcedores do São Paulo. Reuni 10 motivos para acreditar que 2017 será um ano diferente para o São Paulo. As mudanças no clubes são diversas e apontam para coisas boas. Mas é preciso ficar atento para que não se volte ao estágio anterior e que as transformações se consolidem e rendam frutos. É preciso ter esperança.

A outra produção é sobre o agitado mercado da bola brasileiro. Listei as 10 maiores contratações para o início de temporada no Brasil. Seja por valores ou por atletas badalados, os clubes procuraram se reforçar para 2017.

Confira abaixo os dois conteúdos no site do Yahoo!

10 motivos para acreditar que 2017 será um ano diferente para o São Paulo

10 maiores contratações para o início de temporada no Brasil

Piores fases do São Paulo + 10 grandes feitos de Felipe Massa

massa
Em mais uma contribuição para o Yahoo Esportes, fiz um levantamento indicando as piores fases da história do São Paulo. Como o momento é péssimo dentro de campo, um dos piores, tal pesquisa faz todo o sentido. O atual entraria fácil nessa lista. Outro material legal que fiz recentemente foi listar 10 grandes feitos do Felipe Massa na F-1, afinal de contas, o piloto se despede este ano da categoria e é o último brasileiro a lutar com chances de ser campeão, fato quase conseguido em 2008. Conto essa história nessa matéria.

Confira os conteúdos nos links abaixo:

As 10 piores fases da história do São Paulo

10 grandes feitos de Felipe Massa na F-1

Rio-2016: prisões de atletas e olímpicos que seguem carreira política

joao_derly_judo.jpg

Brasil – Rio de Janeiro – RJ – 05/07/2009 – O judoca Joao Derly durante cerimô™nia em que gravou as marcas de suas mãos na calçada da fama do Maracanãzinho. Hoje ele é deputado federal pelo Rio Grande do Sul. Foto: Alex Carvalho/AGIF

Durante a Rio-2016 fiz dois posts bacanas para o Yahoo Esportes. Um deles falava sobre as prisões de atletas nos Jogos Olímpicos, algo pouco usual, mas que no Brasil cresceu exponencialmente. Tem desde beberrões em Londres até cambista do comitê olímpico irlandês e boxeadores acusados de abuso sexual.

Outro que fiz foi sobre ex-atletas que aproveitam de sua popularidade e se dedicam à política. Tem casos do judoca João Derly, Romário, Dinamite, Marat Safin.

Confira abaixo os links dos conteúdos:

As incomuns prisões durante os Jogos Olímpicos

Atletas olímpicos aproveitam popularidade para fazer carreira política

Especial Câmara Municipal de São Paulo

Oi pessoal.

Voltei para retomar as atualizações especiais sobre as eleições publicadas no Agora São Paulo. O especial abaixo foi publicado antes do primeiro turno e fala sobre o trabalho dos vereadores nos últimos quatro anos em São Paulo: Dos 55 vereadores da Câmara, 51 tentam a reeleição no domingo. Mesmo “datada”, o texto é importante, pois faz um balanço sobre a atividade dos vereadores na atual legislatura. Aproveitem!

Maior parte dos projetos aprovados pela Câmara são irrelevantes

No próximo domingo (07.10.12), o eleitor tem a chance de renovar ou manter o seu representante na Câmara Municipal de São Paulo. Com 55 vereadores, São Paulo é o município com o maior número de representantes. Desses, 51 tentam a reeleição.

Responsável por criar e modificar leis e fiscalizar a prefeitura, os vereadores paulistanos pouco têm destinado o seu tempo para a aprovação de projetos relevantes para São Paulo.

Levantamento feito pelo Agora mostra que, dos 886 projetos aprovados entre fevereiro de 2009 e meados de setembro deste ano, 318 são homenagens a pessoas, entidades e empresas e 338 tratam da inclusão ou alteração de nomes de ruas, praças e edifícios públicos e a inclusão de datas comemorativas no calendário da cidade (veja quadro nesta página).

Uma das razões para isso, segundo especialistas, é o poder limitado do vereador, que se torna um coadjuvante do prefeito, que forma a maioria na Câmara para poder governar e ele mesmo criar as leis e definir os rumos da cidade, cabendo aos vereadores apenas chancelar as vontades do Executivo.

“É muito difícil o vereador individualmente aprovar seu projeto de lei. Como ele não tem espaço para isso e, para mostrar que não está sem fazer nada, eles aprovam propostas que nem sempre são ruins, mas são inócuas, não têm efeito prático”, opina o cientista político Claudio Couto, professor de administração pública da FGV-SP (Faculdade Getúlio Vargas).

Desta forma, há espaço para uma enxurrada de projetos de pouca relevância. “Cada vereador tem direito a fazer oito homenagens por ano. É mais uma maneira de agradar algum grupo e angariar votos. O mesmo ocorre com as inclusões das datas, bandeira e hinos dos bairros”, diz Danilo Barboza, diretor geral do Movimento Voto Consciente, entidade que acompanha o trabalho dos parlamentares na Câmara.

Outro exemplo é a nomeação de vias e edifícios públicos. “Achamos que a criação e alteração dos nomes de ruas deva ser um procedimento administrativo, como antigamente, e não merecer um projeto protocolado, passado em quatro comissões e votado em plenária em duas sessões”, critica Barboza. “Só que esse atendimento aos eleitores é muito caro aos vereadores, então eles retomaram para eles. É um tema importante, mas não uma matéria legislativa.”(Rodrigo Herrero)

“Homenagens são demandas da população”, diz presidente da Câmara

O presidente da Câmara Municipal de São Paulo, José Police Neto, afirma que as homenagens “não são invenção do vereador”, mas sim “demandas da população”. “Tanto é assim que as sessões de homenagens estão sempre cheias de gente”, comenta, em entrevista feita por e-mail.

Ainda segundo o presidente da Casa, a nomeação de ruas é uma atividade “estratégica” das cidades. “Ninguém gosta de morar na Rua A ou B, uma rua sem nome. É uma questão de cidadania. O morador precisa ter um endereço, um CEP para poder fazer uma compra e receber a entrega”, ressalta, sem comentar, porém, as frequentes alterações de nomes de ruas e praças, nem a inclusão de inúmeras datas comemorativas no calendário da cidade.

Police Neto destaca que, na atual legislatura, a Câmara aprovou “projetos importantes”, como a Concessão Urbanística para a revitalização da Nova Luz e de outras regiões e a lei da Ficha Limpa. Além do Auto de Licença (Alvará) Condicionado para comerciantes instalados em até 1,5 mil metros quadrados e a lei da Política de Mudança do Clima para a cidade. Esta lei determina, por exemplo, que a Prefeitura faça até 2018 a troca da frota de cerca de 15 mil ônibus para veículos que só usem combustível limpo.

De acordo com o vereador, a Câmara tem investido na ampliação da transparência. “Dados, contratos, pagamentos e salários estão abertos para consulta no portal da Câmara desde antes da lei do Acesso à Informação. A transmissão ao vivo pela internet das sessões plenárias e das atividades na Câmara é regra, assim como a prestação de contas mensal”, declara. (RH)

Saiba quais são as funções do vereadores e como funciona a Câmara

A função do vereador é criar leis e aprimorar as já existentes. Entre as principais áreas de atuação estão a questão tributária, a decretação e a arrecadação dos tributos, a discussão e a aprovação do Plano Diretor de ocupação urbana da cidade.

Também é de competência parlamentar a discussão e a aprovação do orçamento anual e da Lei de Diretrizes Orçamentárias, que planeja onde e como aplicar o orçamento. A Câmara também atua sobre a dívida pública municipal, fiscalizando as atividades comerciais, industriais e de serviços na cidade.

Como explica o site do Movimento Voto Consciente, há algumas ações que o vereador não pode fazer. Uma delas é a realização de obras, seja a construção de escolas, postos de saúde, asfaltamentos. Estas são atribuições do prefeito. O mesmo vale para a limpeza de ruas, remoção de entulhos, capinagem.

A Câmara é administrada pela Mesa Diretora, que é composta pelo presidente (o mesmo da Câmara), vice-presidentes e secretários. Os membros da mesa são eleitos para um mandato de um ano, com direito a uma reeleição. A mesa dirige os trabalhos legislativos e serviços administrativos da Casa.

As leis são feitas no âmbito do plenário, que é composto pela reunião de todos os vereadores em exercício. Os parlamentares também se reúnem nas comissões, que podem ser permanentes ou temporárias e são compostas proporcionalmente, de acordo com a quantidade de vereadores de cada partido.(RH)

População participa pouco das questões políticas

Um problema crônico da sociedade apontado por especialistas é a falta de participação popular na fiscalização do trabalho dos políticos.

Segundo Danilo Barboza, diretor geral do Movimento Voto Consciente, as pessoas não acompanham o trabalho dos vereadores. “Nas audiências públicas só aparecem os vereadores e nós, a não ser quando existe um interesse específico, como o aumento de salário de servidor e questões relacionadas à saúde. As leis que tratam do dinheiro do contribuinte são discutidas sem representação popular”, conta.

Até mesmo o presidente da Câmara, José Police Neto, reconhece o problema. “Nem todo mundo conhece o papel importante dos vereadores e, por isso, perde a oportunidade de conseguir melhorias para seu bairro, sua rua ou sua comunidade. No Brasil, ainda precisamos avançar na relação dos parlamentares com a população”, afirma.

Outro problema é a falta de preparação do eleitor na hora de escolher o seu representante. Especialistas afirmam que a pessoa deve buscar informações antes de decidir em qual candidato irá votar.

“Tem que ver se esse vereador porta certos valores e concepções de mundo que a pessoa concorda. Não se deve votar a esmo, vote em quem defenda aquilo que você acredita”, diz o cientista político Claudio Couto, professor de administração pública da FGV-SP (Faculdade Getúlio Vargas). “A pessoa deve olhar o histórico e o currículo do candidato. No caso de candidatos jovens, é importante ver se há afinidade com as suas propostas.”(RH)

PT vai ter que negociar com o “centrão” para aprovar projetos na Câmara

No último dia de cobertura das eleições no Agora São Paulo, uma das matérias que foi publicada foi essa daqui abaixo. Não tem link no site porque não foi a matéria principal da página, embora tenha recebido um espaço significativo. A seguir eu coloco no blog a versão inteira, até com um parágrafo sobre oposição, que não entrou no jornal por falta de espaço.

PT vai ter que negociar com o “centrão” para aprovar projetos na Câmara

O prefeito eleito Fernando Haddad (PT) não deverá ter problemas para governar a cidade de São Paulo nos próximos quatro anos. Mas vai ter que negociar com o chamado “centrão” para formar a maioria na Câmara Municipal e ter uma vida mais fácil na aprovação de projetos para a cidade.

Os partidos que formam o arco de alianças eleitoral (PT-PP-PSB-PC do B) somam 16 vereadores. Caso essa aliança se confirme em apoio em 2013, Haddad precisará de pelo menos mais 12 vereadores para configurar maioria absoluta na Câmara. Para isso, deverá consolidar no plano municipal a aliança federal com o PMDB e negociar o apoio de partidos menores, como o PR, PV e PRB, que poderão ser o fiel da balança nestas eleições.

“O centrão é um grupo que se reelegeu de maneira expressiva, com alguns entre os mais votados. É um grupo que está fortemente representado e tem fortes características governistas. Mas vai ser preciso demonstrar habilidade para lidar com esses vereadores”, avalia o cientista político Humberto Dantas, professor do Insper.

A dúvida fica por parte do PSD, partido do atual prefeito Gilberto Kassab, contará a partir de 2013 com uma bancada de sete vereadores e pretende reunir os partidos menores em torno de si para poder fortalecer o “centrão”. O partido, que apoiou o candidato derrotado José Serra (PSDB), deverá ser cobiçado para fazer parte da administração municipal.

“O PSD é uma incógnita. Embora o PSD seja aliado de Geraldo Alckmin [PSDB] no Estado de São Paulo, no plano federal eles são mais fieis à presidente Dilma Rousseff”, diz o professor do departamento de política da PUC-SP, Pedro Fassoni Arruda.

Dantas crê que Kassab deverá manter o perfil governista do partido. “O PSD tem grandes possibilidades de fechar com o Haddad. O Kassab está flertando com o PT não é de hoje, só não fechou com o Haddad porque Serra foi candidato”, diz.

Já a oposição terá vida difícil. Com nove vereadores, o PSDB deverá sofrer para compor uma bancada oposicionista forte, que ajude a brecar o ímpeto do Executivo dentro do Legislativo.

“O PSDB e o PPS foram aliados nesta eleição, o que não significa que permanecerão coesos. Além disso, dentro do PSDB tem alguns vereadores identificados ao Serra e outros ao Alckmin, o PSDB está bastante dividido. Se continuar essa cooptação do PSD é provável que ocorra troca de partido durante a legislatura”, afirma Arruda. (Rodrigo Herrero)

Ps: Nos próximos dias eu vou desovar os demais textos publicados no jornal nesse período eleitoral, em especial as matérias especiais. Porque tem uns que tiveram o prazo de validade vencido e nem faz mais nexo colocar aqui. No jornalismo é assim, o que saiu num dia já mudou para o dia seguinte.

O canto do dinossauro

Ontem eu fui na Câmara Municipal acompanhar os trabalhos dos vereados – aliás, isso vale um post específico, espero ter tempo de, em breve, escrever um – e entrevistar o Wadih Mutran (PP), que não foi eleito após quase 30 anos de Legislativo em São Paulo. Como sempre, o texto que saiu foi uma notinha, o que cortou um bom espaço para alguns pontos que acho que vale a pena trazer aqui no blog.

Mutran não consegue nova eleição

Com quase 30 anos de Câmara Municipal, o vereador Wadih Mutran (PP), 76 anos, não conseguiu se eleger para mais um mandato. Ele teve 27.429 votos e ficou em 56º, fora de uma das 55 cadeiras municipais.

De andar calmo e fala firme, Mutran não demonstrou tristeza por não ter sido reeleito. Perguntado sobre a razão de sua saída do Legislativo, ele disse que é um direito da população. “Não sei filho [qual a causa para a não reeleição], o povo é quem sabe, o povo quer trocar. Quem sabe não vem coisa melhor? Eu trabalhei os quatro anos, fiz muito por São Paulo, em especial para a região da Vila Maria [zona norte]”, afirmou em seu gabinete.

Mutran preferiu destacar o trabalho realizado ao longo de quase três décadas. “Todos os meus projetos são importante para a cidade. Sou autor de aproximadamente 600 projetos, mais de 70 viraram lei em São Paulo. Outros tantos se tornaram obsoletos e outros foram arquivados porque não tinham mais interesse”, falou, lamentando que a população não reconheceu o seu trabalho. “O povo só reconhece como importante quando põe o metrô, o ônibus perto da casa dele. Não vão valorizar aquilo que você faz para administrar a cidade, para fiscalizar o governo, punir quem erra.”

Apesar de não ter sido reeleito, Mutran deverá voltar à Câmara em breve, já que é o primeiro suplente da sua bancada, além de ter sido o primeiro vereador mais votado, excluindo os 55 eleitos.

Resta um

O PP elegeu apenas um vereador na cidade, o pastor Edemilson Chaves, que teve 45.858 votos. Hoje a sigla tem dois vereadores – Attila Russomanno, também não conseguiu reeleger-se. Segundo Mutran, a razão para a queda foi a falta de candidatos conhecidos.

“Nós não tivemos candidatos para puxar voto. Eu achava que o partido elegeria pelo menos quatro. Mas fez só um, o pastor da igreja. Possivelmente, se não tivesse pastor, não teríamos eleito nenhum”, sutentou.

Argentina sinaliza que Bolívia poderá ingressar no Mercosul em breve

Olá!

No ar, mais um post no blog http://noticiasdaal.wordpress.com.

E o tema de hoje é integração regional, em particular, a possível entrada da Bolívia no Mercosul.

O texto tem uma primeira parte noticiosa, com informações sobre as negociações bilaterais entre Argentina e Bolívia e o crescimento do consumo de gás boliviano por Brasil e Argentina. Numa segunda parte, faço uma análise a respeito da possível entrada da Bolívia no bloco, as dificuldades para o êxito desta empreitada e o que está em jogo na América do Sul neste atual momento.

Para ler o texto, clique aqui!

Visite o site, conheça mais sobre o assunto e deixe o seu comentário!

Te aguardo lá.

%d blogueiros gostam disto: