Arquivo

Archive for the ‘Fotografia’ Category

Turismo: Governador Celso Ramos

Praia de Palmas - Gov. Celso Ramos - 9.11.2014

Praia de Palmas – Gov. Celso Ramos – 9.11.2014

Começo hoje uma nova/velha seção no blog. “Fotografia” tem uma categoria definida aqui do lado (láááá embaixo) e, de vez enquando, eu publicava algo com alguma foto, para dar uma quebrada nas publicações de textos. O maluco é que tem muitos outros posts com foto que não aparecem nessa categoria e deveriam, mas como eu fazia com outro intuito, não colocava. Ou seja: tenho que arrumar isto. Aos poucos, tentarei.

Dito este preâmbulo/justificativa, digo que vou aproveitar esta vinda à Santa Catarina para postar imagens de lugares maravilhosos que tenho conhecido neste um ano e três meses (e contando) que estou por aqui. A natureza é o ponto forte do Estado, com praias deslumbrantes, morros e serras lindíssimas, trilhas, passeios, enfim, muito o que fazer neste aspecto turístico. E basta ter sol para ter zilhões de opções nos fins de semana, ainda mais na temporada de calor. O céu azul chama para as praias e fica até difícil escolher para que lado ir, ou simplesmente ficar na faixa de areia perto de casa. Claro que uma dupla de paulistas não ia deixar de morar a poucos passos de uma praia, após anos em meio a prédios e poluição, sempre sonhando com o litoral a uma hora da capital. Aqui não, para onde se olha há praia.

Camarão é vida!

Camarão é vida!

E para retomar este espaço, escolho o último lugar que fomos, eu e a Patrícia, no caso. Governador Celso Ramos, na Grande Florianópolis. Uma cidade de 51 anos de emancipação e que seu primeiro nome era Ganchos, onde quem nasce ainda é chamado de gancheiro (achei massa a alcunha). Uma península com baías, braços de terra que saltam para o mar como ganchos e dezenas de praias maravilhosas. Demos apenas uma passeada por algumas, para depois ir com calma e ficar mais tempo em uma ou outra. O que nos motivou a ir até a cidade foi a 1ª Festa Regional do Camarão, que se encerrou ontem. Como vocês podem ver na foto, comemos camarão (um dos pratos favoritos da dupla) até dizer chega – o lugar é um dos grandes produtores de camarão do Estado, e olha, delicioso! Depois, foi bodear numa praia, depois conhecer e bodear em outra e observar o mar, ilhas, morros, pessoas curtindo o ambiente… Entre olhadas no celular para saber informações sobre a rodada do Brasileirão, o que deixou meu fim de tarde um pouco mais angustiante, confesso.

O bacana do lugar é que há praias e até uma baía de golfinhos, que um dia ainda queremos ver alguns desses animais (já tentamos com o barco pirata, mas eles não apareceram), mas também a estrada que circunda a península sobe e desce pela região de morros que caracteriza esse pedaço de terra que salta da geografia catarinense rumo ao Oceano Atlântico. Então, tem também momentos de um cenário rural, com vaquinhas e bois pastando sossegadamente na planície e muito verde ao redor da via pavimentada. Destaque também para os “mirantes”, uns acostamentos precários, mas que abrem espaço para cenários maravilhosos.

Enfim, um dia é pouco para Governador Celso Ramos. Isso quer dizer que iremos muitas vezes para lá. Nesse e nos próximos verões.

Baía dos Golfinhos - Gov. Celso Ramos

Baía dos Golfinhos – Gov. Celso Ramos

Descanso…

Praia Grande - 02.11.09

Cidade Ocian – Praia Grande – 02.11.09

Uma visão para relaxar nesses dias corridos e malucos. Após 21 dias seguidos de trabalho na Olimpíada de Londres, tudo que eu desejaria era estar com esta visão pela minha frente, não importa qual praia fosse.

Claro que almejaria praias fantásticas no Nordeste ou mesmo o Rio de Janeiro, maravilhoso e lindo. Mas até a Praia Grande serve. Porque, o que importa, é a praia e, especialmente a visão do mar e toda a paz que isso representa.

Quando você estiver lendo isto, eu estarei neste cenário – espero que com calor parecido – aproveitando para descansar um pouco e visitar os meus pais. Uma pausa nessa loucura chamada vida moderna. E um “start” para a vida que vale a pena. De fato.

Vivam.

São Vicente

Como é bom passar o dia desligado de tudo. Sexta-feira tivemos que descer a Serra para resolver umas pendências burocráticas em Itanhaém e, na volta, passeamos por São Vicente, meio sem querer, mesmo com a chuva que ia e voltava, atrapalhando uma contemplação mais interessante da paisagem. Antes de voltar para São Paulo, ainda deu tempo de visitar meus pais na Praia Grande, já à noite.

Praia de Itararé - 16.03.2012

Praia de Itararé - São Vicente - 16.03.2012

 

Não sei porque, mas São Vicente me chama a atenção. Gosto dela, do clima de uma cidade que é mais que um simples local de veraneio, com seus prédios residenciais de cara urbana em frente ao mar, da movimentação, das vastas áreas verdes e de recreação entre a rua e a areia, já dando mostras de como é belo o maior jardim de frente pro mar do mundo, que percorre toda a orla santista. Gosto também de ver a sua paisagem repleta de ilhas, com a Praia de Itararé mais parecendo uma baía. Os quiosques de madeira, a ciclovia… A Ponte Pênsil com os pescadores a passar o dia por ali… Não sei, mas gosto de lá. Se um dia decidirmos ir embora daqui, lá – e Santos – será um lugar a ser pensado com carinho.

 

Praia de Itararé - São Vicente - 16.03.2012

Praia de Itararé - São Vicente - 16.03.2012

 

Por isso, publiquei estes dois cliques por aqui, apenas para relaxar no domingo e começar bem a semana. Até a próxima!

A cidade e suas cores…

Ciudad de Leste - 19.12.2011

Ciudad del Este - 19.12.2011

Eu ia colocar uma foto de Puerto Iguazu e continuar o passeio, mas vi essa foto e decidi publicá-la. Gosto muito dela, é bem colorida por causa das cores das bandeiras cobrindo o comércio ambulante de Ciudad del Este. É uma variedade de coisas, artigos, cores, pessoas, odores, que mostra como a cidade paraguaia é uma mistura de tudo que torna esse local tão popular, em que pobres e metidos a ricos a visitam em busca de “precitos”. Um calor infernal faz nessa época do ano na região e essa cobertura de tecido ajudava a amenizar a elevada temperatura.

Estávamos lá no dia seguinte que o Olimpia foi campeão paraguaio. Por isso, muitas pessoas vestiam a camiseta do clube com orgulho. Queria ter comprado uma, mas só encontrei dos camelôs, desisti. Pelo pouco que vi, é uma cidade maluca, desordenada, mas legal. Gostaria de voltar lá para ir além-fronteira e tentar conhecer um pouco mais da realidade desse povo que vive em função do comércio com os brasileiros. Até amanhã e boa semana!

Um passeio pelo mundo livre…

Ciudad de Leste - 19.12.2011

Ciudad del Este - 19.12.2011

No final do ano passado fui para Foz do Iguaçu conhecer as suas famosas cataratas e tudo o que cerca esta cidade e sua Tríplice Fronteira, separando Brasil, Argentina e Paraguai. No primeiro dia já fomos para Ciudad del Este conhecer o que gira bastante a economia por ali, além do turista no lado brasileiro-argentino, o comércio de eletrônicos no terreno paraguaio. Essa rua, apesar de ser inclinada, lembra a Rua 25 de Março, em São Paulo. Com camelôs pelas calçadas e até nas ruas, fica difícil caminhar por ali para alcançar as lojas de departamentos grandiosas indicadas pelos turistas.

Muita sujeira no chão. Muitos carros e motos circulam pela região. É preciso tomar um pouco de cuidado, mas não é um lugar violento ou hostil como os guias de turismo acabam fazer parecer. Comprei remédio pra dor de cabeça em uma farmácia, um salgadinho de um camelô, e basta trocar meia dúzia de palavras, em espanhol ou em português mesmo, que as pessoas lhe atendem, são prestativas. Isso na rua. Nas lojas o pessoal fala português e só falta estender um tapete vermelho, afinal, tu poderá fazer uma mega compra e…

A aduana, enfim, a fronteira, é um processo meio chatinho, de fila de ônibus, carros, caminhões e longa espera. Em um segundo dia que fui até lá, voltei a pé e aí tudo parece mais fácil, a travessia e a imigração,a té porque o volume de compras era pequeno: não viajei pra fazer muamba. Mas bem que umas garrafas de vinho e de outras bebidas valeu e muito a pena trazer de lá.

Nas próximas semanas, aos sábados e domingos, irei colocar mais algumas fotos desta belíssima viagem. Das melhores que eu já fiz. Até amanhã.

Minha vida é andar por este país…

Em algum lugar do interior da Paraíba... abril de 2011

Nas minhas andanças pelo Brasil no projeto Rotary Brasil 2011, exibido na Rede Vida todos os sábados, às 21h30, até o dia 18 de junho, visitei dez Estados, mais de 40 cidades (sem contar aquelas que cruzamos pelo caminho) e conhecemos mais de 50 projetos, em uma maratona maluca de dois meses praticamente sem folga. Foi, pelo segundo ano, uma experiência bastante rica, tanto do ponto de vista profissional, quanto pessoal. Conheci realidades distintas, ações sociais bacanas, outras capengas, outras necessitando de mais ajuda.

Mas o mais legal mesmo é conhecer as pessoas, estar em lugares em que você sente realmente que o Brasil está mudando para melhor, mas que, por outro lado, falta muita coisa (mas muita mesmo) para que a o slogan do último governo seja a representação fiel da realidade. O Brasil ainda não é um país de todos, embora tenha hoje mais condições de lutar por um lugar ao sol.

A rotina desses dois meses é massacrante: acorda cedo, grava um projeto, termina, almoça, corre pra outra cidade enquanto escreve o texto da primeira, chega na segunda cidade, grava, pega estrada, escreve a outra matéria, chega no hotel, termina de escrever tudo, come e dorme, tarde. Os fins de semana são de pouco descanso e arrumação de mala para mais estrada, carro, avião, confusão, encheção, estresse. Mas vale a pena. E é intenso desse jeito, mas dura pouco. Então, quando acaba, você sente a falta da adrenalina energizante e leva uns dias até se recuperar e acalmar o espírito para buscar uma nova rotina, já que se trata de um free-lancer.

Ao invés de retratar meu trabalho, busco com essas fotos mostrar coisas diferentes dessas viagens a lugares que, para os homens de cidade grande como eu – encerrados em seu habitat de concreto – são pitorescos, e que revelam cenários de um cotidiano mais simples e diverso do que estou acostumado. E é por isso que eu acho essas viagens divertidas, apesar dos contratempos e do pouco tempo para senti-las a fundo. Mas o pouco que tomo contato já vale e muito, agrega bem mais coisas positivas do que ficar trancado em casa tuitando sobre bobagens de algum site.

Quem quiser saber mais e ver fotos dos projetos sociais e das experiências nas cidades, basta acessar o flickr: flickr.com/photos/rotarybrasil. Tem também o twitter @programarotary. Bom domingo a todos.

No interior Pernambucano, uma churrascaria de Deus... abril de 2011

Andanças… discrepâncias…

Sorocaba - SP - 29.03.2010

Uma pequena ilustração de minhas andanças pelo interior paulista durante a série de reportagens do programa Rotary Brasil, que começa dia 10 de abril, às 21h30, na Rede Vida de Televisão. Foto tirada na periferia de Sorocaba, com suas discrepâncias entre uma carroça humilde e um carro importado. É perceptível a diferença entre quem tem muito e ajuda com migalhas e aquele que mais necessita. Alguns tipos de ajuda apenas mantém as diferenças em seus devidos lugares. Sem transformação, a desigualdade nunca será eliminada.

%d blogueiros gostam disto: